Telefone
51 3343.0811 - 51 3372.6638
WhatsApp
51 98015.6602
SOLICITE ORÇAMENTO
SOLICITE ORÇAMENTO
21/08/2018

Problemas da queima de lixo a céu aberto

Vivemos em uma época na qual a sustentabilidade é evidenciada em campanhas publicitárias e na mídia, porém sua prática é incomum no cotidiano. O velho hábito da queima de lixo a céu aberto é um clássico exemplo quando falamos de falta de conscientização, apesar de ser um assunto em pauta.

Antigamente, o principal motivo para a queima era o desconhecimento sobre os efeitos biodegradáveis e a falta de alternativas disponíveis para a coleta, tratamento e destinação. Hoje em dia esses problemas ainda existem, porém em proporções muito menores. Então por que ainda existe tanta queima de lixo? A resposta é simples: as pessoas querem se livrar o quanto antes dos resíduos de lixo, simplesmente tocando fogo neles para que rapidamente se tornem apenas cinzas.

A combustão espalha mau cheiro, poluição e desperdiça materiais que poderiam ser decompostos ou reciclados. Fora quando existem componentes plásticos agregados ao lixo, sendo eles responsáveis por tornar a fumaça extremamente tóxica.

A queima de certos plásticos, como PVC, libera os tão temidos furanos e dioxinas, composições gasosas cancerígenas. O dióxido de carbono é outra grande preocupação, principal responsável pelo efeito estuda e as mudanças climáticas decorrentes da sua alta concentração na atmosfera.

Conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9605/1998), queimas lixo constitui crime. O artigo define que toda poluição gerada a níveis que possam provocar danos à saúde humana, a mortandade de animais ou a destruição humana implica em reclusão de um a quatro anos, além de multa.

Nós, do Grupo Brava, contamos com vasta experiência na execução de extintores de incêndio convencionais e endereçáveis de diversas marcas, além de diversos produtos que auxiliam no combate contra fogo, atuando sempre com profissionais habilitados na fábrica. Saiba mais sobre nossos serviços em nosso site.

Para solicitar um orçamento, acesse nossa área exclusiva para o assunto.

#TAGS RELACIONADAS

COMPARTILHE Facebook

POSTS RECENTES